***Doce mel…. (não!)

O mel é daquelas coisas que causa bastante tentação aos papás para oferecer aos seus rebentos.

O mel, devido à forma como é feito (abelhas e afins) é propenso a criar uma série de microorganismos que podem levar ao Botulismo.

Independentemente da marca, tipo e forma de confecção, este perigo existe sempre!

E os nossos bebés tem o seu sistema imunitário bastante susceptível.

E o que é o Botulismo?

O botulismo é uma forma de intoxicação alimentar rara mas potencialmente fatal, causada por uma toxina produzida pela bactéria Clostridium botulinum, presente no solo, pólen, trato digestivo das abelhas, as poeiras e em alimentos contaminados e mal conservados.

Os esporos do botulismo são muito resistentes e podem sobreviver até à pasteurização e a altas temperaturas. O xarope de milho também pode conter o esporo.

Os sintomas do botulismo surgem entre 8 e 36 horas, até, no máximo, alguns dias depois da ingestão do alimento contaminado.

Depois do vencimento desse prazo, a criança não está mais sujeita aos perigos do botulismo. Entre os sintomas estão tremores, dificuldade de deglutição, prisão de ventre, falta de apetite e falta de energia. É uma intoxicação alimentar que atinge o sistema nervoso.

A doença é muito rara, mas, se você desconfiar que algo está errado com seu filho, procure atendimento médico na hora. A doença é responsável por 5% das mortes súbitas em crianças menores de 1 ano de idade.

Depois de 1 ano, você pode dar mel, mas cuidado para não abusar.

Por ser um alimento extremamente doce, ele pode acostumar mal o bebê, e pode prejudicar os dentes.

Prefira oferecer alimentos naturalmente doces como sobremesa (frutas, abóbora, cenoura, por exemplo), e depois limpe bem a gengiva e os dentinhos do bebê.

Mas o mel geralmente não é uma fonte de nutrição importante para os bebés, pelo que, para jogar pelo seguro, é preferível aguardar até aos 2 anos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *