A partilha

Li há uns tempos que nós não partilhamos.

Logo não devemos propriamente incentivar ou obrigar os nossos filhos à partilha.

Igualdade e distribuição igual de algo público é uma coisa, mas partilha do que é meu não.

Eu não partilho o meu telemóvel, o carro, a minha água, o meu lanche só porque alguém me pede ou porque fica bem.

O que é meu eu partilho quando, se e com quem quero.

E a pessoa do lado que quer algo meu, não tem direito nenhum de ficar chateado ou “fazer birra” porque eu não partilho.

Porque ele não tem direito nenhum.

Coisas públicas ou da creche: temos de saber viver em sociedade, e ceder a vez aos outros quando algo não é nosso.

São coisas diferentes e não tem a ver com a partilha, mas com o respeito ao outro.

Óbvio que não chego ao parque e o baloiço é só do meu filho, ou o escorrega mas, se também houver mais coisas para os outros brincarem têm de querer ir para aquele que esta a ser utilizado? precisamente aquele? …..

Como tudo, é necessário peso, medida e bom senso.

Mas eu não vou ensinar o meu filho a partilhar o que é dele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *